pré-refrão

Às vezes a vontade é de ficar deitado ouvindo música.
Música ouvindo, enquanto deitado.
Fone de ouvido, embaixo das cobertas.
Harmonia perfeita: eu e meu colchão.
As notas do rock rasgado se igualam ao lençol.
A linha do baixo.
A virada da bateria.
O pré-refrão.
Enquanto a guitarra base se faz presente, o solo fica por minha conta.
Já que o espaço ao lado continua vazio.

óculos

Mal toca o despertador.
Óculos de grau.
Ufa! Ainda é a terceira soneca.
Passados alguns minutos, óculos de sol, que não por acaso também possuem lentes corretivas.
Diferentes meios de transporte e elevadores depois, óculos de grau. De novo.
Antirreflexo. É melhor pra quem trabalha em frente ao computador.
Meio dia e vinte e três. Hora dos óculos de natação.
Após o cansaço vem a substituição.
Saem as lentes de plásticos e entram novamente as de policarbonato.
Estes permanecem em posição até o fim do dia, salvo algum lampejo de euforia.
Um choro de felicidade.
Ou de desespero.
Quando as duas mãos encontram a face e empurram o acessório acima das sobrancelhas.
A visão turva ajuda a esquecer. Ou a criar uma falsa bolha protetora.
Exceções à parte, a armação preta fosca só deixa o rosto após uma partida de FIFA
> um episódio de série
> uns capítulos daquele livro esquecido na cabeceira.
E ao confirmar se o alarme está ativo.

5 motivos para você visitar o Sudão do Sul.

Se você está cansado dos roteiros de viagens comuns, este post é pra você. Confira aqui 5 motivos pra você sair da rota tradicional e conhecer de perto o que o Sudão do Sul, país localizado na região nordeste da África, tem de melhor.

 

1: Condições de vida deploráveis.

Quando você visitar o Sudão do Sul, não deixe de conhecer Malakal, a segunda maior cidade do país. As condições de vida lá são tão precárias que é comum você encontrar diversos locais que são um verdadeiro lixão a céu aberto.

2: campo de proteção civil da ONU.

07-24-2015Juba_POCReduto de pessoas doentes e que estão em risco de vida iminente. Este é o Poc (sigla em inglês do Campo de Proteção Civil da ONU), um destino inesquecível, que tem que fazer parte do seu roteiro e que vai marcar a sua viagem para sempre.

 

3: Cenário de Guerra.

sudan-rebel-aid_franA guerra civil entre facções já criou um ambiente propício para quem quer conhecer a guerra de perto. Vale muito a pena, porque a chance de você se encontrar no meio de um embate é realmente muito grande.

4: Pneumonia e Malária.

É sempre msf157051_smallchato quando não podemos trazer nada do lugar em que visitamos, não é mesmo? E este é, na opinião deste blog, um dos pontos fortes do Sudão do Sul. Afinal, as chances de você voltar pra casa com Pneumonia ou Malária é muito grande. Isso, se você voltar.

 

5: Você não quer ir ao Sudão do Sul. Mas tem gente que quer.

Os Médicos Sem Fronteiras já estão atuando e levando assistência médica às pessoas que sofrem com os conflitos no Sudão do Sul e em outros países do mundo. Mas para que este trabalho continue, a sua doação é muito importante. Acesse msf.org.br e ajude os Médicos Sem Fronteiras a estarem onde ninguém quer estar.

 

A bonita e a feia.

Tem gente que, na balada, prefere ir direto na feia. E vai porque sabe que é mais difícil rolar com a bonita, aquela que encanta a todos.

Afinal, tá mais fácil. É garantido. Sem erro.

O problema disso todo mundo sabe. Não dá pra espalhar por aí, nem sair contando vantagem. Mostrar pros amigos? Nem pensar.

Mas, e a bonita?

Ah, não. Dá muito trabalho, requer muitas habilidades e também um pouco de sorte. Sem falar que ainda tem o risco de acabar a noite sozinho, ou pior, com uma feia.

Quais são as suas dicas para quem quer ser um bom redator?

Bom, pra começar tem que gostar muito de escrever. Porque vai escrever, reescrever, reescrever e reescrever de novo. Tem que gostar de ter ideias. E com o passar do tempo, vai perceber que é necessário ser liberal em relação às suas crias. Afinal, se você não desapegar, vai ser meio doído.

Tem que gostar de ler. Ler de tudo, o tempo todo. Desde livros clássicos, até artigos zoados da internet. Quanto mais argumentos você tiver, mais fluído o seu texto vai ficar e mais vida as suas ideias terão.

Não pode ter medo de tentar. Às vezes a sua ideia parece ridícula, mas gera um insight que alguém pode evoluir e transformar em uma coisa grande. E aí você percebe que com os erros se aprende mais do que com acertos.

Seja amigo do atendimento, do mídia, da produção, da produtora, dos sócios, da galera da criação e do revisor. Bom relacionamento é fundamental. Eles precisam de você e você com certeza vai precisar deles, principalmente nas horas mais difíceis.

Leia seu texto em voz alta. Leia de novo. Mostre ele pra alguém.

Procure pegar umas manhas dos seus profissionais favoritos. Textos curtos, sem exclamação e sem reticências são as minhas. Aliás, tenha referências. Boas referências. Vá atrás de quem é reconhecido, premiado e admirado por muitos. Se você tiver a oportunidade, trabalhe com essas pessoas. Aprenda, sugue ao máximo tudo o que elas podem te passar. Eu fiz isso, fui atrás dos melhores e continuo buscando, pra aprender sempre. Quem sabe assim, um dia eu possa ensinar.

Não seja estrelinha, esteja sempre disponível para um bate-papo. Inclusive, se você leu até aqui e quer trocar uma ideia comigo, é só chamar.

Abraço.