A bonita e a feia.

Tem gente que, na balada, prefere ir direto na feia. E vai porque sabe que é mais difícil rolar com a bonita, aquela que encanta a todos.

Afinal, tá mais fácil. É garantido. Sem erro.

O problema disso todo mundo sabe. Não dá pra espalhar por aí, nem sair contando vantagem. Mostrar pros amigos? Nem pensar.

Mas, e a bonita?

Ah, não. Dá muito trabalho, requer muitas habilidades e também um pouco de sorte. Sem falar que ainda tem o risco de acabar a noite sozinho, ou pior, com uma feia.

Quais são as suas dicas para quem quer ser um bom redator?

Bom, pra começar tem que gostar muito de escrever. Porque vai escrever, reescrever, reescrever e reescrever de novo. Tem que gostar de ter ideias. E com o passar do tempo, vai perceber que é necessário ser liberal em relação às suas crias. Afinal, se você não desapegar, vai ser meio doído.

Tem que gostar de ler. Ler de tudo, o tempo todo. Desde livros clássicos, até artigos zoados da internet. Quanto mais argumentos você tiver, mais fluído o seu texto vai ficar e mais vida as suas ideias terão.

Não pode ter medo de tentar. Às vezes a sua ideia parece ridícula, mas gera um insight que alguém pode evoluir e transformar em uma coisa grande. E aí você percebe que com os erros se aprende mais do que com acertos.

Seja amigo do atendimento, do mídia, da produção, da produtora, dos sócios, da galera da criação e do revisor. Bom relacionamento é fundamental. Eles precisam de você e você com certeza vai precisar deles, principalmente nas horas mais difíceis.

Leia seu texto em voz alta. Leia de novo. Mostre ele pra alguém.

Procure pegar umas manhas dos seus profissionais favoritos. Textos curtos, sem exclamação e sem reticências são as minhas. Aliás, tenha referências. Boas referências. Vá atrás de quem é reconhecido, premiado e admirado por muitos. Se você tiver a oportunidade, trabalhe com essas pessoas. Aprenda, sugue ao máximo tudo o que elas podem te passar. Eu fiz isso, fui atrás dos melhores e continuo buscando, pra aprender sempre. Quem sabe assim, um dia eu possa ensinar.

Não seja estrelinha, esteja sempre disponível para um bate-papo. Inclusive, se você leu até aqui e quer trocar uma ideia comigo, é só chamar.

Abraço.