Arquivo do autor:jamesdoring

Sobre jamesdoring

Sou de Blumenau, Santa Catarina e atualmente moro em Florianópolis. Já toquei em trio de música alemã, trabalhei em xerox de universidade, fui por 4 anos presidente da Juventude Evangélica do sínodo Vale do Itajaí (IECLB) e fui conferente e comprador de uma empresa que vendia ferro, antes de virar publicitário. Aprendi o "Vai lá e faz" na Perestroika, em Porto Alegre e também a querer aprender cada vez mais (2 vezes), com a Escola Cuca, de São Paulo.

Eu sinto muito

Eu sinto muito.

Muito mesmo.

Não é sobre arrependimento.

É sobre sentimento.

É subir no alto do monte Everest da felicidade.

E de lá despencar.

Sem paraquedas ou aquela roupa especial que faz o cara voar em queda livre (?)

É sentir o coração sair pela boca até se conformar que sim, voudardecaranochão. 

Fechar os olhos. Os punhos. Os ouvidos. 

Até ser catapultado misteriosamente de volta.

  Mas de repente tô aqui em cima.

Era pra estar aqui embaixo.

Planando. Como o pássaro brinca com o vento.

Só que o vento é quem brinca.

E se você sentiu que perdeu tempo lendo até aqui. Peço desculpas, mas eu avisei lá no começo.

Eu sinto muito.

Motivação

Motivação.
Àsvezesédifícilconseguirmanterelapor

perto.
Até. porque. Isso. cansa.

Açúcar.
Cafeína.
Adrenalina.
Cafeína de novo.

A superultramegahiper coincidência cósmica que se alinha aos astros agora.

Um acorde.
Um solo.
Um riff.
O dedo mindinho que acerta a nota mais aguda.
Tutupá, tutupá.

Quatro punkrockpesadões a mil batimentos por minuto.

Energia.
Esporte. Mexer esse corpinho.
200kg no legpress. #VaiMonstrão.
O ponto. O gol. A cesta.
O recorde.

Às vezes a maior vitória nãotelevanecessariamente ao pódio.

Motivação.
O que é? Onde vive? Do que se alimenta?
Ou melhor. Onde ela habita em você?

astigmatismo

Aquele olhar despretensioso.
Por cima dos óculos.
Com a vista direita, porque o grau da esquerda é um pouco mais alto.

Todo o resto é borrão.
Embaço. Fumaça. Letargia.
O mundo é o caos. Confusão.

E já que a visão é embaralhada, por que o raciocínio deveria ter foco?
Por cima dos óculos, até o pensamento é míope.
Incapaz de enxergar longe.

pré-refrão

Às vezes a vontade é de ficar deitado ouvindo música.
Música ouvindo, enquanto deitado.
Fone de ouvido, embaixo das cobertas.
Harmonia perfeita: eu e meu colchão.
As notas do rock rasgado se igualam ao lençol.
A linha do baixo.
A virada da bateria.
O pré-refrão.
Enquanto a guitarra base se faz presente, o solo fica por minha conta.
Já que o espaço ao lado continua vazio.

óculos

Mal toca o despertador.
Óculos de grau.
Ufa! Ainda é a terceira soneca.
Passados alguns minutos, óculos de sol, que não por acaso também possuem lentes corretivas.
Diferentes meios de transporte e elevadores depois, óculos de grau. De novo.
Antirreflexo. É melhor pra quem trabalha em frente ao computador.
Meio dia e vinte e três. Hora dos óculos de natação.
Após o cansaço vem a substituição.
Saem as lentes de plásticos e entram novamente as de policarbonato.
Estes permanecem em posição até o fim do dia, salvo algum lampejo de euforia.
Um choro de felicidade.
Ou de desespero.
Quando as duas mãos encontram a face e empurram o acessório acima das sobrancelhas.
A visão turva ajuda a esquecer. Ou a criar uma falsa bolha protetora.
Exceções à parte, a armação preta fosca só deixa o rosto após uma partida de FIFA
> um episódio de série
> uns capítulos daquele livro esquecido na cabeceira.
E ao confirmar se o alarme está ativo.

5 motivos para você visitar o Sudão do Sul.

Se você está cansado dos roteiros de viagens comuns, este post é pra você. Confira aqui 5 motivos pra você sair da rota tradicional e conhecer de perto o que o Sudão do Sul, país localizado na região nordeste da África, tem de melhor.

 

1: Condições de vida deploráveis.

Quando você visitar o Sudão do Sul, não deixe de conhecer Malakal, a segunda maior cidade do país. As condições de vida lá são tão precárias que é comum você encontrar diversos locais que são um verdadeiro lixão a céu aberto.

2: campo de proteção civil da ONU.

07-24-2015Juba_POCReduto de pessoas doentes e que estão em risco de vida iminente. Este é o Poc (sigla em inglês do Campo de Proteção Civil da ONU), um destino inesquecível, que tem que fazer parte do seu roteiro e que vai marcar a sua viagem para sempre.

 

3: Cenário de Guerra.

sudan-rebel-aid_franA guerra civil entre facções já criou um ambiente propício para quem quer conhecer a guerra de perto. Vale muito a pena, porque a chance de você se encontrar no meio de um embate é realmente muito grande.

4: Pneumonia e Malária.

É sempre msf157051_smallchato quando não podemos trazer nada do lugar em que visitamos, não é mesmo? E este é, na opinião deste blog, um dos pontos fortes do Sudão do Sul. Afinal, as chances de você voltar pra casa com Pneumonia ou Malária é muito grande. Isso, se você voltar.

 

5: Você não quer ir ao Sudão do Sul. Mas tem gente que quer.

Os Médicos Sem Fronteiras já estão atuando e levando assistência médica às pessoas que sofrem com os conflitos no Sudão do Sul e em outros países do mundo. Mas para que este trabalho continue, a sua doação é muito importante. Acesse msf.org.br e ajude os Médicos Sem Fronteiras a estarem onde ninguém quer estar.